Páginas

Pesquisar este blog

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Por que não enfermagem?

Chegou novamente a nova onda de perguntar por que eu não falo tanto mais sobre a enfermagem, já que sou enfermeira deveria escrever, estudar mais sobre enfermagem.

Primeiro por que descobrir que me enquadro mais na profissão, não que eu superei ninguém, acredito que foi escolha errada. Assim seria se estivesse na medicina, farmácia e bioquímica, psicologia, direito. Qual é a minha área? Poderia dizer filosofia, mas não me sinto uma filósofa, acho q estou muito mais para analista de políticas de saúde ( com ênfase na saúde mental), e escritora do que qualquer área específica.

Se eu quiser falar de Diógenes, falo. Bem como se quiser falar de Florence, Paulo Nader, Ulisses Guimarães, de Paulo coelho, Da dançaria de qualquer grupo de axé, ou simplesmente de Deus, eu estarei livre para isso. Ou se eu quiser apenas ler sobre qualquer coisa. Sem precisar ficar seguindo tabus impostos de que leitura boa é leitura da minha área.

Logicamente que esta regra não se aplica a todos, mas a grande maioria dos profissionais tendem a ler apenas coisas de sua área de interesse, não ampliam seu campo de reflexão, e mesmo que lêem coisas não diretamente ligadas à sua área, raramente conseguem fazer analogia entre a leitura e sua própria prática. Isto significa dizer que sendo um engenheiro, e lendo um romance não conseguem fazer associação entre a leitura e o romance. Mas certamente ali no meio tem algo que lhe pode dar alguma criatividade, acrescentar algo a sua pessoa enquanto profissional. E isto serve para qualquer área, ou profissional.

Dessa forma acrescento dizendo que a enfermagem, atualmente, não me permite fazer essa ampliação no conhecimento, atuar de forma amplificada, nossos objetivos se opõem, e dificilmente é possível conciliar, ou tentar buscar o mesmo, levantar a minha bandeira dentro da profissão, já que meu ponto de vista sobre a profissão, é algo que a grande maioria, e os órgãos competentes querem abandonar, querem esquecer, para se tornarem pseudos profissionais. Comprovando a tese de médicos frustrados, ditos por muitos.

A enfermagem que querem é algo utópico frente aos problemas de saúde (em termos de sistema) que enfrentamos. Ao passo que a necessidade de uma boa administração baseada num conhecimento amplo que requer leituras e estudos além da enfermagem e saúde, se tornam cada vez mais primordial.

Sendo assim, a enfermagem se torna pra mim uma caixa muito pequena, mas pesada de se carregar, melhor deixá-la no cantinho do quarto, e ir usando o conteúdo de forma homeopática para não causar dano à minha saúde, e nem a nenhum sistema já integrado, concreto, e que esteja numa pseudo harmonia.

Um comentário:

blog da angela vaz7 disse...

...mais precisamos de pessoas como você!