Páginas

Pesquisar este blog

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

BBB8 O retorno




Já vim aqui escrevendo sobre o BBB8, mesmo não acompanhando é impossível andar nas ruas sem ouvir nada a respeito. Alguns podem dizer que entrei na febre. Não! Não entrei, mas adoraria conseguir tirar algo bom deste programa.

Impossível, não consigo acabar de ler nada publicado no site oficial do programa. Apenas algumas críticas e manchetes. Impossível não ler as manchetes de bancas de jornal quando paramos no sinal ou passamos apressadamente em frente, além das primeiras páginas de sites de variedades como o Terra, Oi, Globo, Uol, dentre outros.

Mas um fato em chamou a atenção. Não sei se esses papos de ônibus estão me fazendo bem. Mas se esses programas mudassem um pouco o estilo? Sim mudar, ao invés de provas de resistências, os profissionais escolhidos para concorrerem a um prêmio fizessem projetos para serem implantados pela sociedade?

Claro para isso teria que ser abdicado a escolha de modelos, de corpos esculturais dando lugar a advogados, engenheiros, médicos, físicos, sociólogos, cientistas, etc.

Suponhamos: parece-me que para conseguirem comida por uma semana, têm que realizar provas. Que tal a prova ser os participantes conseguirem pessoas da comunidade para doarem quantia em dinheiro, ou material de construção para construírem uma casa sob supervisão do engenheiro? Ou então arrecadarem comida de porta em porta e o que conseguirem fosse revertido para um orfanato ou famílias pobres e a Rede Globo revertesse em outros produtos para os participantes?

Parece-me que nessa edição existe um psiquiatra, que disse que o profissional ficou lá fora? Uaiiiiiiiiii?????????? Por que deixar o profissional lá fora? Não seria um bom momento para retirar da sociedade menos esclarecida e fã do programa a conscientização acerca da saúde mental? Retirar o estigma que todo doente é incapaz, marginal e perigoso?

Os músicos poderiam ir ensinar música nas favelas, as donas de casa poderiam ensinar adolescentes a cozinharem, a bordar, sei lá mais o que. O importante seria tirar o foco fútil do programa substituindo-o pelo social e cultural.

Isso não precisaria retirar paredão, votações, festas, etc. só substituição de tarefas e provas.

Não seria uma boa alternativa para salvar o programa?

Fico por aqui hoje, se vocês derem uma espiada lá, me contem aqui, eu processo e surjo com alguma idéia. Ou crítica, claro!

Um comentário:

Sofia disse...

Oi Lilian! Como vai? Olha, achei suas idéias super bacanas! Na verdade eu n gosto de assistir ao BBB pq não consigo. Tenho sempre uma sensação de que estou perdendo meu tempo. No início eu assistia, mas com o passar do tempo percebi que nem valia a pena mais. Há tanto que fazer pela humanidade, não?! E os meios de comunicação, e as idéias "incríveis" para entreter o público poderiam contribuir para o bem de todos. Sei lá. Sucesso. Abraço.