Páginas

Pesquisar este blog

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Das interrelações

As relações interpessoais são interessantes. Ao cruzarmos com as pessoas há poucas possibilidades de expectativas. Basicamente esperar algo delas, ou doar algo a elas.

O interessante é que o resultado não depende  do outro, mas da sua intensidade de esperar e doar.

O risco de decepção em ambas é grande, uma vez que temos a tendência de criarmos os alicerces dessas expectativas em   lacunas existentes em nós.

Esperamos que o outro preencha as nossas necessidades.  Sem sequer  cogitar quais são as necessidades dele também.

Esquecemo-nos ainda de buscar contextualizar  o que buscamos no outro. Afinal  não há relação interpessoal, qualquer que seja ela, se não há alguma troca, algum interesse ( bom ou ruim).

É nesse ponto que as  experiências de cada ente  da relação podem se confundir. Pois enquanto um está para si, o outro pode estar para todos, ou também para si mesmo.

Reverter possíveis frustrações é algo bastante complexo, pois é  trabalhar com medos,  frustrações,  bloqueios, fobias, traumas, e defesas . E não podemos esquecer de citar o orgulho e  a timidez.
E o primeiro passo, para reverter isso tudo não se insere em querer apenas, mas em ousar, dar o primeiro passo, significar agir, e não apenas  tomar coragem em  romper defesas e medos.


Um comentário:

Marilia Bavaresco disse...

Perfeito.
O nível de frustração costuma ser alto se tivermos muita expectativa nas pessoas.
Fato.
Abraços.
vidanaperene.blogspot.com