Páginas

Pesquisar este blog

terça-feira, 3 de março de 2009

Mente? Cérebro? Não existe, afff.

Outro dia lendo um fórum de usuários e pessoas ligadas por laços familiares ou profissionais à saúde mental, pessoas falando sobre o seu próprio tratamento, expressando seus descontentamentos com relação a eles, não observam nenhuma melhora com as medicações, pelo contrário.

São pessoas que se sentem limitadas, pois não podem beber, não conseguem fazer isto ou aquilo. Algumas chegam a justificar que a medicação está errada que não existe problema nenhum no cérebro (como se a doença mental acometesse o cérebro apenas), que certamente é um problema “disfuncional” orgânico. Uma pessoa ousou falar que marido não tinha problema algum psiquiátrico, e somente na necropsia feita por ocasião de seu falecimento que mostrou um problema no baço, e a mesma leu na internet que problemas no baço pode dar alucinações e alteração de comportamento. Completou que iria ler se hipertensão e problemas na tireóide daria também alteração em relação à psique.

Pessoas que fazem tratamento há anos, simplesmente dizem não existe problema psiquiátrico, os remédios são pura enganação na psiquiatria, apenas um meio do médico e laboratórios faturarem as custas dos outros. Chega a ser assustador pensar que mais de uma dezena de laboratórios e milhares de médicos ( psiquiatras) sejam de uma quadrilha para sacanear as pessoas, brincar coma vida delas, sim porque saúde é vida!

Isso que eu chamo da melhor e maior teoria da conspiração. Caso isso mesmo seja verdade, eu me sinto lisonjeada, afinal no meio de bilhões de pessoas eu fui escolhida por essa organização, que chega a financiar pesquisas em todo o mundo, aliás, se essa teoria de tudo é mentira, então não existe pesquisa, apenas engodo.

Eu reflito muito sobre essas situações, e se fosse colocar aqui certamente sairia um livro especulativo sobre esses pensamentos meus. Mas vamos dar uma pincelada: se a doença mental é tudo mentira, armação de médicos e laboratórios, como fica os cientistas e pesquisadores sobre o assunto? Os laboratórios de análises clínicas? Vários autores? E filósofos? Nossa a teoria e a quadrilha é maior e mais poderosa que eu imaginava.

O pior disso tudo não chega a ser essa conclusão dessas pessoas em acharem que doença psiquiátrica na verdade é uma reação apenas de doença orgânica. Pra mim o pior é compartilharem isto com várias pessoas, que mesmo não gostando das medicações sabem da importância da mesma, sabe-se lá o que pode acontecer numa crise com relação a essas medicações.

E vou mais além, essas declarações surgem de pessoas que dizem ajudar outras> ora desestimular o uso de medicações é ajudar. E a meu ver, essas afirmações absurdas ( pois não consideram todo o contexto e amplitude da situação conforme exposto anteriormente) simplesmente se traduzem, pra mim, como uma fase maníaca, uma fase de negação, um não querer assumir o que é, e a doença.

Sim a doença mental ainda está enrustida de preconceitos, até mesmo pelos próprios pacientes, que muitas ainda insistem em seguir o senso comum, e esquecem que um problema na mente nem sempre é sinônimo de paralisação e retardo mental, pelo contrário, se exercita muito mais a mente, desenvolvendo-a mais, assim fica uma mente mais “avançada” em descompasso com um senso comum. Assumir uma doença requer assumir suas próprias preferências, e assumir estas significa não ter desculpismo e culpabilidade em outras pessoas das nossas próprias escolhas.

Um comentário:

Repositório disse...

Sapientíssima!!!!!!!